maratona-2-0

Aeeee estamos na segunda edição da Maratona Literária, e novamente o Por Essas Páginas está participando! Como fizemos ano passado, toda a nossa equipe tem metas, e me falaram que eu não posso ser uma exceção. O fato é que eu ando numa seca literária do cão, sem vontade de ler nada… então minha meta será bem pequena. Mas bem, uma vitória – por menor que seja – ainda é uma vitória, certo?

Então minha meta terá duas partes:

1. Terminar de ler House of Hades (estou na página 100 de 500 e pouco);
2. Ler outro livro de no mínimo 300 páginas.

Quais as metas de vocês? Não deixem de compartilhar, e boa leitura!!

EDITADO

Dia 1 – Comecei a ler A Rogue by Any Other Name por recomendação da Sabrina, e só quando estava lá pela página 70 foi que me dei conta que o livro só tem 290 páginas. Damn it!! Tarde demais, pois ontem eu li 130 páginas. Portanto, minha meta editada é:

1. Terminar de ler House of Hades (estou na página 100 de 500 e pouco);
2. Ler dois outros livros de no mínimo 200 páginas cada.

Entre mortos e feridos, cá estou eu adicionando mais um livro à meta! Vou tentar terminar Rogue hoje, e vamos que vamos!

Dia 2 - Terminei de ler A Rogue by Any Other Name no fim da noite, exausta demais para escolher um novo livro. Essa será minha tarefa de hoje. Ou então tentar cumprir a outra parte da meta, que é terminar de ler House of Hades. Hmmm…

Dia 3 – Decidi começar a ler Fangirl, de Rainbow Rowell, por motivos de eu ter adorado Eleanor & Park, e porque como é em ebook, acabo lendo a qualquer hora no iPhone. Infelizmente meu terceiro dia da Maratona, com um novo livro, não rendeu tanto: apenas 24 páginas. Talvez tenha sido porque eu não precisei ficar quatro horas tomando chá de cadeira num hospital veterinário como segunda-feira, ou talvez tenha sido minha frequente troca de mensagens no tumblr tentando conhecer pessoas que também compraram ingressos VIP para encontrar o Matt Smith mês que vem, mas o fato continua que foram apenas 24 páginas. Vamos ver o que o quarto dia reserva…

Dia 4 – Um pouco melhor, com 84 páginas lidas de Fangirl, mas estou começando a ficar preocupada com minha meta. Especialmente com House of Hades pra terminar (ainda faltam umas 400 páginas), então aqui vou eu roubar alterar minhas metas novamente:

1. Ler dois livros de no mínimo 200 páginas cada;
2. Ouvir um audiobook de no mínimo 6 horas.

Ai ai ai.

Dia 5 – Hoje quase consegui terminar Fangirl, mas meus olhos fecharam antes de eu chegar ao final. Mas o saldo do dia foi bem positivo: 190 páginas! Amanhã será um problema, pois só poderei ler à noite, o que vai me deixar somente com o domingo para ouvir as 6 horas de Two Boys Kissing.

Dia 6 – Terminei Fangirl! Como passei o dia todo fora ocupada com tarefas de Maid of Honor, só tive tempo de ler o que faltava do livro, e ouvir 40 minutos de Two Boys Kissing.

Dia 7 – E chegamos ao final da Segunda Maratona Literária! Posso dizer com orgulho que consegui cumprir minha meta modificada, e li mais do que esperava:

A Rogue by Any Other Name – 290 páginas
Fangirl – 321 páginas
Two Boys Kissing - 208 páginas (ou 6 horas e 15 minutos)

Foi muito bom dar um gás na minha leitura – que anda parada desde que passei a dedicar minha vida à Doctor Who o ano passado – e vamos que vamos agora em 2014!!

20130802-213837.jpg

Terceiro dia da Maratona Literária e não fui tão bem quanto gostaria. A leitura de O Hobbit empacou novamente e acho que terei que me conformar de uma vez por todas que esse não é um livro pra mim.

Porém consegui ler 61 páginas de Eleanor & Park, e gente, que gracinha de livro! Embora eu não tenha atingido minha meta de 75 páginas, li mais do que costumo ler, especialmente com tudo que está acontecendo por aqui.

Então a minha meta revisitada é terminar Eleanor & Park!!

Maratona1

Ufa, correria correria!

Minha mãe chegou do Brasil hoje pra passar um tempo comigo, e eu saí cedinho pra buscá-la em Nova York (que fica a quatro horas daqui). Por isso ontem mal tive tempo de ler, mas vamos lá!

Livro: The Hobbit
Páginas: 25

Que livro CHATO! Eu amo Senhor dos Anéis, amo, amo, amo! Mas O Hobbit… confesso que só sinto vontade de largar mão.

Livro: Eleanor & Park
Páginas: 38

Comecei esse livro ontem, e estou gostando. É bem escrito e bonitinho, e estou curiosa para saber onde a história vai me levar.

Livro: The Golden Lily
Páginas: 20

O quê, tá achando que eu sou de ferro, é?

Com isso, o total de páginas lidas fica em 83, pouquinha coisa a mais do que minha meta de 70!

Opa, vamos lá! Primeiro dia da Maratona e abaixo está o que eu consegui ler.

O desafio de hoje é do blog Por Essas Páginas e vale até amanhã às 10:00. Eu participei mesmo sem poder concorrer, e adorei ter escrito uma pequena carta à querida Hermione Granger.

Livro do dia: The Edge of Never, J.A. Redmerski
Páginas lidas: 351

Uau! Confesso que estou surpresa comigo! Ultrapassei bastante a marca das 75 páginas que queria ler diariamente, e consegui terminar Entre o Agora e o Nunca. Abafa que nem peguei em O Hobbit, mas talvez amanhã dê pra isso ser remediado, mesmo porque esse livro de hoje teve um final tão decepcionante, mas tão decepcionante e nada a ver e ridículo e UGH, que acho que até O Hobbit vai me descer melhor agora.

Ou The Golden Lily para reler, porque né, Adrian.

Oops!

Bom dia pessoal!

O primeiro desafio da Maratona Literária está sendo hospedado pelo Por Essas Páginas. O Desafio consiste em escrever uma carta à um personagem que tenha te cativado. Como eu participo do blog hospedeiro, não posso concorrer mas não poderia deixar de participar de algo tão bacana! Então segue abaixo a minha pequena carta de gratidão à uma das personagens mais fortes e maravilhosas já escritas.

Dear Hermione Granger,

Eu confesso que quando comecei a escrever essa carta, não era o seu nome ali na primeira linha. Quanto mais eu progredia, no entanto, mais eu sentia a necessidade de que essas palavras fossem dirigidas à você. Sabe Hermione, eu não gostava tanto assim de você no começo. Você era irritante, dona da verdade, cabeça fechada, e inteligente a ponto de deixar nós, meros mortais, com uma ponta de inveja apesar de nós mesmos. Mas isso foi antes de eu tentar te entender, e quando eu consegui passar por cima das minhas primeiras impressões (Elizabeth Bennet teria se orgulhado, tenho certeza), à medida que fui te conhecendo melhor, eu pude finalmente ver o tamanho do seu coração e a beleza do seu espírito.

Eu queria ter crescido com você, Hermione, mas fico feliz em poder te citar como exemplo à duas meninas lindas que somente agora estão descobrindo as aventuras que você teve com seus melhores amigos. Com você, elas estão aprendendo que não há nada de errado em ser você mesma, porque quem te ama de verdade te ama com todos os seus defeitos. Com você elas estão aprendendo que é importante ser responsável, que é importante lutar por aquilo em que se acredita. Elas estão aprendendo que nós devemos ter consciência daqueles que não tiveram as mesmas oportunidades que a gente, e fazer o que estiver ao nosso alcance para que eles também tenham uma voz. Elas estão aprendendo que não vale a pena mudar – seja nossos atos ou nossa aparência – para agradar a ninguém, especialmente garotos – que toda forma de mudança deve ser de acordo com as nossas próprias regras, no nosso próprio tempo. Em você Hermione, elas têm um exemplo feminino forte, uma fonte de inspiração que  não se esgota.

Por isso eu quero tirar esse momento para te agradecer, Hermione. Obrigada por ser uma amiga incondicional, por não abaixar a cabeça para o Ron, por não aceitar ser corrompida pelo Ministério da Magia, por lutar pelos direitos dos Elfos Domésticos, por não se dar por vencida diante das adversidades, por fazer o que é certo mesmo quando esse é o caminho mais difícil. Obrigada por nos mostrar que não é legal quando meninas inteligentes se fazem de estúpidas para serem socialmente aceitas.

Obrigada Hermione, por fazer com que garotinhas no mundo inteiro queiram ser como você.

Com carinho,

Vania

Maratona1

Foi com muita felicidade que recebi a proposta da Sabrina do Café com Blá Blá Blá para participar da Maratona Literária com o Por Essas Páginas (no qual a Lany vai postar as metas dela). O objetivo é simples: dar um gás nas leituras, e em uma semana ler mais do que você está acostumado(a). Para todas as regras e detalhes sobre como participar vocês podem visitar o Café. Como esse ano minha meta de leitura está abaixo do que ela foi no passado e eu estou de férias na semana da Maratona, vamos lá!

Na Maratona Literária, eu quero:

*Ler 75 páginas por dia
*Terminar a leitura de The Hobbit
*Participar de ao menos um desafio diário
*Interagir com outros participantes da Maratona

Pretendo publicar posts diários com minhas atualizações e reflexões sobre o que consegui ler naquele dia aqui no blog.

Então vamos lá: preparem o café, sentem-se confortavelmente, coloquem as pernas para cima e… boa leitura!

Essa semana eu almocei com um grupo de mulheres no meu antigo serviço. Conversa vai, conversa vem, o papo da vez foi o livro 50 Tons de Cinza e suas sequências. Sim, eu li o primeiro e não tenho vergonha de admitir. Eu sabia que seria ruim, mas estava cansada de ter colegas me perguntando como eu podia ter uma opinião sobre algo que eu não conhecia. Engoli (há!) minha vontade de responder que não era preciso ler pra saber que era uma porcaria, e baixei o famoso livro de E.L. James. Confesso que a única coisa que permitiu que eu chegasse ao final das mais de 300 páginas foi ter amigas do Por Essas Páginas e Café com Blá Blá Blá (além da minha companheira de Doctor Who, Mari) lendo e tirando sarro comentando comigo.

Eu gosto de pensar que tenho a cabeça aberta pra leitura. É claro, existem gêneros que eu não passo perto – como terror – mas erótico não é um deles (embora eu precise confessar que minha experiência com o gênero se resume à fanfics). Por isso foi com o coração aberto que comecei a folhear as páginas de 50 Shades, determinada a entender o motivo da febre. Primeiro, para um cara que fala “I don’t make love, I fuck“, Christian Grey deixa a desejar. Muito. Desculpe, Sr. Grey, mas você é a prova de que cachorro que late não morde. Anastasia, que irrita desde o começo por ter o charme de uma lesma morta (olá Suzanne Collins!), se torna insuportável quando aparece com sua “deusa interior” que saltita, pula e ganha medalhas olímpicas. Mas tudo bem, isso tudo é uma questão de gosto e eu entendo quem não o tenha e aprecie esse tipo de narrativa. Existe apenas um motivo que me leva a respeitar um pouco menos quem gosta da trilogia de E.L. James.

50 Tons de Cinza é um livro extremamente mal escrito. 

Isso é um fato, e seu argumento é inválido.

Oh my!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 84 outros seguidores